O radão

O gás radão é um gás incolor e inodoro, pelo que é impossível de o detectar sem equipamento apropriado. É um dos produtos de decaimento de urânio, naturalmente presente no solo mas com tendência a existir em maior concentrações em solos graníticos. Como é gasoso, ao contrário dos outros produtos de decaimento do urânio, ele liberta-se para a atmosfera. No ar exterior, ele existe bastante diluído (cerca de 10 Bq/m3). Já nos edifícios, ele acumula-se e pode atingir concentrações elevadas de várias centenas ou mesmo milhares de Bq/m3, o que eleva muito os riscos de contrair cancro do pulmão.

 

Normalmente, a principal fonte do radão que entra nos edifíciosé o solo por baixo dos mesmos. Os solos contêm naturamente partículas de urânio, que dão origem ao radão. Os solos graníticos e basálticos têm maior susceptibilidade de apresentar maior quantidade de urânio e por sua vez, libertar mais radão, mas já têm sido encontrados níveis elevados de radão em zonas com outro tipo de rochas, apesar de menos frequentemente.

 

A segunda principal fonte são as paredes e materiais de construção em granito. Em  Portugal temos muita tradição em utilizar granito na construção. Quando o granito é utilizado do lado de fora da casa, em revestimentos, não há à partida problemas. Quando extensas áreas no interior da casa são em granito, como no caso de paredes interiores em granito, isso já pode significar que o radão emanado por estas se acumula no interior da habitação e possa atingir valores elevados. O facto de nas reabilitações de edifícios, se apostar muito no isolamento térmico das casas reduzindo a ventilação natural, pode contribuir para um aumento dos níveis de radão.

 

A terceira fonte, é a água quando retirada de furos e poços que é aproveitada para o uso doméstico. Por vezes acontece estas águas subterrâneas estarem em contacto com urânio que se encontra naturalmente presente nos solos e dissolverem esse radão que depois libertam, quando essas águas são utilizadas. No caso da concentração de radão nessas águas for muito elevada, pode originar uma importante fonte de contaminação no interior do edifício. Existem na legislação portuguesa, valores máximos recomendados de radão na água. Se utiliza água de furos e/ou poços para consumo doméstico (banhos, lavagem de louça e roupa, etc), saiba que pode medir a concentração de radão nessa mesma água e verificar se os níveis de radão estão abaixo ou acima dos valores máximos recomendados pela legislação. Contacte-nos para fazer a medição do radão na água.

 

Têm sido detectados níveis muito elevados de radão em edifícios de várias cidades, vilas e aldeias, por todo Portugal, especialmente em alguns distritos onde o risco é mais elevado (ver mapa de radão de Portugal). Este gás cancerígeno está longe de estar limitado às zonas mineiras, afecta muitos edifícios numa extensa área de Portugal, não distinguindo entre zonas rurais e citadinas, trazendo riscos sérios para a saúde dos moradores.

 

Como o radão é um gás pesado, tende a acumular-se nos níveis inferiores, sendo os locais mais críticos as caves enterradas e andares térreos sobre o solo. As concentrações de radão geralmente diminuem de piso para piso, recomendando-se geralmente que se meçam os níveis de radão até ao 3º andar/piso.

 

 

 

 

radão, Lusoradon, mitigação de radão, medição de radão, radão em Portugal, mitigação de radão

© 2015 - LUSORADON - Livre-se do radão e respire descansado!               Contacto: geral@lusoradon.pt                              www.lusoradon.com    Tlm: 967 087 084

  • c-facebook
  • Twitter App Ícone
  • Google+ Basic Black
Lusoradon medição de radão e mitigação de radão

Go to link